Medicamentsen-ligne vous propose les traitements dont vous avez besoin afin de prendre soin de votre santé sexuelle. Avec plus de 7 ans d'expérience et plus de 80.000 clients francophones, nous étions la première clinique fournissant du acheter viagra original en France à vente en ligne et le premier vendeur en ligne de Cialis dans le monde. Pourquoi prendre des risques si vous pouvez être sûr avec Medicamentsen-ligne - Le service auquel vous pouvez faire confiance.

Microsoft word - documento

Antibioticoterapia Empírica na Infecção Urinária na Criança
Carla Simão, Magda V. Ribeiro, Arlete Neto
Secções de Nefrologia e Infecciologia Pediátrica Devem ser tratadas todas as IU sintomáticas na criança e a bacteriúria assintomática nos casos com patologia nefro-urológica ou doença crónica que condicione maior susceptibilidade para infecções. O tratamento deve ser iniciado o mais precocemente possível, em todos os casos após a colheita de urina para urocultura. A anti-bioticoterapia é inicialmente instituída de forma
empírica e logo que possível ajustada de acordo com o teste de sensibilidade aos
antibióticos (TSA).
Objectivos:
Evitar o aparecimento de cicatrizes (nas IU altas) Erradicar o agente do aparelho urinário Critérios de escolha da antibioticoterapia
Para iniciar uma terapêutica empírica há que ter em consideração aspectos que se relacionam com o agente infectante, com características do hospedeiro e com as características e propriedades É necessário conhecer em cada área comunitária quais os agentes infectantes mais frequentes e qual o seu padrão de sensibilidade aos antibióticos. Em relação ao hospedeiro importa considerar a idade e os agentes infectantes mais frequentes de acordo com o grupo etário, a gravidade da situação clínica, a existência, ou não, de patologia nefro-urológica ou outra, e, importa conhecer terapêuticas antibióticas que tenham sido recentemente instituídas. No que diz respeito aos fármacos importa utilizar uma antibiótico bactericida, com espectro de acção selectivo, com boa concentração urinária, com mínimo de efeitos secundários e com baixa capacidade de induzir o aparecimento fácil de estirpes resistentes. Igualmente importante é a posologia, a tolerância e aceitabilidade dos preparados disponíveis no mercado, sobretudo quando a terapêutica é instituída Terapêutica empírica
A proposta de terapêutica empírica, de acordo com o tipo de IU é a seguinte: I. Recém-nascido - A suspeita de IU no RN é sempre abordada como um quadro de sépsis

a) Se infecção precoce:
Ampicilina + Aminoglicosido -> Endovenoso (75-100mg/kg/d – 8/8h) (5-6mg/kg/d – 24/24h)
b) Se infecção tardia (e mais provável o diagnóstico de IU)
Ampicilina + Cefalosporina de 3.ª geração -> Endovenoso (75-100mg/kg/d – 8/8h) (Ceftriaxone – 80-100mg/kg/d)
II. Lactente com > 1 M < 3 M
(80-100mg/kg/d – 8/8h) (5-6mg/kg/d – 24/24h) Nota: a utilização do aminoglicosído tem por objectivo alargar o espectro de acção durante o
período de maior risco de cicatrizes renais.
III. Lactente e criança mais velha (> 3 M)
Pielonefrite aguda
a) Se em regime de internamento hospitalar (80-100mg/kg/d – 8/8h) (5-6mg/kg/d – 24/24h) Propõe-se o início da terapêutica em regime de internamento hospitalar nos casos de PNA que ocorram em crianças com idade jovem (recém-nascido ou lactente com menos de 6 meses de
idade), com quadros de gravidade clínica (febre elevada, prostração, vómitos, estado séptico,
associado a parâmetros analíticos de infecção – leucocitose com neutrofilia e PCR francamente positiva), com patologia nefro-urológica ou outra patologia crónica que obrigue a vigilância
clínica, com incapacidade de tolerância da via oral e nos casos de incerteza do cumprimento
da terapêutica em regime ambulatório. A terapêutica por via parentérica pode ser substituída por
terapêutica oral após o conhecimento do TSA e/ou após 48h de apirexia e melhoria clínica Em todos os casos a terapêutica empírica deve ser ajustada de acordo com o TSA da urocultura obtida à entrada. Sugerindo-se nova urocultura às 72h e após interrupção da terapêutica. A duração total do tratamento proposta é de 10 dias (7 a 14) nos casos de PNA e de 7 dias nos Quimioprofilaxia das IU
A quimioprofilaxia justifica-se em doentes com susceptibilidade aumentada para a ocorrência de IU e deve ser instituída em todos os doentes que tiverem tido uma PNA até se ter a caracterização morfológica e funcional do seu aparelho urinário, a qual determinará a continuação, ou não, da O fármaco mais utilizado é o trimetoprim, na dose de 1mg/kg/dia. Outros antibióticos possíveis são a nitrofurantoína (1-2 mg/kg/d). Estes fármacos são administrados em toma única por terem uma Bibliografia
1. Ribeiro M. Infecção urinária. Protocolos de urgência em pediatria. ACSM ed. Lisboa, 2000: 108- 2. Somec R, Belson A, Assia A, Jurgenon U, Spirer Z, Reif S. First generation cephalosporins as therapy for uncomplicated pyelonephritis in children. A retrospective analysis. J Med 2000; 31 (3-4): 3. Hooton T M, Levy S B. Antimicrobial resistance: a plan of action for community practice. Am Fam Physician 2001; 15; 63 (6): 1087-98. 4. Levtchenco E, et al. Attitude of Belgian pediatricians toward strategy in acute pyelonephritis. 5. Fanos V, Khoory B J. Antimicrobial survey of urinary tract isolates from a pediatric departement. J 6. Helwing H. Contemporany issues in management of pediatric infections. Infect Dis J 1997; 16 (3): 7. Vu-Thien H. Antibiotic sensitivity to isolated bacteria in pediatric urinary tract infection. Arch Pediatr 1998; 5 Suppl 3: 2665-85. 8. Mangiarotti P, Pizzini C, Fanos V. Antibiotic prophylaxis in children with relapsing urinary tract infections: review. J Chemother 2000; 12 (2): 115-23.

Source: http://www.arsalgarve.min-saude.pt/site/images/centrodocs/Antibioticoterapia_Empirica_na_Infeccao_Utinaria_na_Crianca.pdf

Condonsinhaflumay27.doc

Chronicle of a Pandemic Foretold: Lessons from the 2009 Influenza Epidemic Available at SSRN: http://ssrn.com/abstract=1398445. Executive Summary The A(H1N1) influenza epidemic provided the first indication of the effectiveness of the pandemic preparations that countries and international organizations initiated in the wake of the 2003 SARS epidemic. In the case of SARS, China was

Microsoft word - angola electrotherapy study - 9 march 2006.doc

Investigation of the effect of a multi wave oscillator in the treatment of adult HIV/AIDS patients: Authors: Campbell N R, Paspaliaris V, Ballard R Enquiries: Prof. N. Campbell, P O Box 137, Parkville. Vic. 3052 Australia Email: noelc@smile.org.au Abstract In this study 26 patients infected with the HIV-1 virus were treated daily for two months with an electrotherapy device and

Copyright © 2010-2014 Pharmacy Pills Pdf